Famoso trader destaca 2 indicadores chaves que apontam recuperação inesperada do Bitcoin


Embora o preço do Bitcoin (BTC) enfrente dificuldades para voltar a ser negociado acima de US$ 30 mil para o famoso trader Nicholas Merten, há 2 indicadores chaves que apontam uma possível recuperação da principal criptomoeda do mercado.

“Quero me arriscar e fazer uma afirmação ousada sobre o mercado de criptomoedas. Especialmente porque o sentimento é incrivelmente assustador agora. Para mim não importa e você acha que estamos no bear market ou se os preços vão cair ainda mais. Para mim, agora é muito mais provável que veremos uma alta no preço recuperando muitas das perdas, do que continuar no lado negativo”, disse.

Merten foi certeiro em novembro do ano passado, quando o Bitcoin registrou sua máxima histórica em US$ 69 mil e a maioria dos analistas previa que não haveria obstáculos para US$ 100 mil.

“Eu sinto muito, mas não há como atingirmos US$ 100.000 ou US$ 150.000 no quarto trimestre deste ano ou no primeiro trimestre do ano que vem. Vou ter que dizer isso porque acho que muitos analistas estão entendendo isso errado”, disse na época o analista.

Agora, sobre o preço do BTC no atual ciclo de baixa, ele aponta que um dos indicadores chaves que aponta a alta é o volume de negociação de Bitcoin nas exchanges centralizadas e descentralizadas.

Merten diz que grandes picos de volume no gráfico do Bitcoin serviram historicamente como indicadores confiáveis ​​para confirmar as reversões de tendência. Ele ressalta que os picos de volume coincidiram com o fundo das correções de preços em março de 2020 e maio de 2021.

Outro indicador chave apontada por ele, é o numero de traders alavancados que, ele aponta, ser um fator fundamental para prever os movimentos do mercado.

“Este mercado é impulsionado pelo crédito. É impulsionado pela alavancagem. Muitos dos principais movimentos para cima e para baixo são causados ​​por jogadores de longo prazo no mercado que estão assumindo um risco um pouco maior do que deveriam. Isso levou a altas exacerbadas de preço, recuperações no mercado e todos os novos máximos de todos os tempos que estabelecemos”, disse.

Preço do Bitcoin

Quem também está otimista com uma possível alta no Bitcoin é o popular trader de criptomoedas Michaël van de Poppe. Segundo ele, não há dúvidas de que o Bitcoin irá superar a marca de US$ 30 mil em breve.

Segundo ele, os nívies de US$ 28 mil e US$ 29 mil estão atuando como forte suporte e devem ajudar os touros a escalar mais um degrau e estabelecer uma nova resistência em US$ 30 mil.

“Se isso acontecer, US$ 31.000 e possivelmente US$ 32.800 em seguida”, apontou.

Já Lucas Schoch, CEO e fundador da Bitfy, aponta que os investidores, além do Bitcoin, devem manter os olhos atentos para algumas altcoins como a Aave, um protocolo descentralizado para gerar liquidez aos seus usuários, permitindo que os mesmos emprestem e tomem emprestado criptomoedas.

“Nesta semana, o protocolo que gera liquidez aos seus usuários está valorizando o equivalente a 20%”, destacou.

Schoch também aponta a Monero (XMR) que subiu 18% nos últimos 7 dias e é um projeto visa alcançar o maior nível de descentralização possível, e por padrão, os detalhes da transação sobre os remetentes, destinatários e a quantia de criptomoedas que serão transferidas são anonimos.

O analista destaca em terceiro lugar o TRX, token nativo da rede TRON, que subiu 13% nos últimos 7 dias. E, fechando a lista, ele destaca a Tezos, uma blockchain concorrente do Ethereum, que também pontuou positivamente na última semana, como uma alta de 12%.

LEIA MAIS

Siga-nos nas redes sociais

Siga nosso perfil no Instagram e no Telegram para receber notícias em primeira mão!





Source link

Share to...