Trader brasileiro investiu R$ 5 mil e ganhou R$ 260 mil negociando LUNA durante colapso do Terra



Muitos investidores foram prejudicados pelo colapso da stablecoin TerraUSD UST e do LUNA, tokens do ecossistema Terra que juntos somavam mais de US$ 40 bilhões em capitalização de mercado e foram reduzidos a pó em menos de uma semana.

No entanto, também houve quem viu na alta volatilidade desencadeada pelo colapso do LUNA uma oportunidade para realizar operações de alto risco em busca de retornos igualmente significativos.

Foi o caso do trader brasileiro Pedro Menin, sócio-fundador da Quantzed Criptos, uma escola de educação financeira com foco em criptomoedas, informou o portal E-InVestidor em uma reportagem publicada na sexta-feira, 27.

Entre 12 e 14 de maio, Menin investiu aproximadamente R$ 5.000 no LUNA e obteve aproximadamente R$ 260.000 com a operação de alto risco, cujo resultado final ele compartilhou com os seus mais de 24.000 seguidores no Twitter.

Menin montou a operação com base em uma análise dos fluxos de negociação da moeda àquela altura, já que não existiam razões fundamentalistas para acreditar que o LUNA pudesse reverter a desvalorização desencadeada pela espiral da morte do UST.

Trade tático

Menin começou a monitorar o fluxo de compra e venda do ativo na noite de 12 de maio, quando o LUNA estava sendo negociado por US$ 0,0012. Acumulando mais de 99% de desvalorização, Menin testemunhou o LUNA recuar para US$ 0,000001, um ponto em que simplesmente deixaram de existir ofertas de compra pela moeda, enquanto as vendas maciças continuavam.

Foi então que ele decidiu investir US$ 200 (aproximadamente R$ 1.000) em LUNA – uma quantia pouco significativa caso o token seguisse perdendo valor, conforme explicou à reportagem:

“Me chamou a atenção, ninguém estava querendo comprar. Então, o que custava colocar um dinheiro lá? Começou assim, como uma aposta mesmo. E depois que eu comprei, começaram a aparecer mais compras em sequências. O preço foi subindo e, cada vez que o preço subia, mais ofertas de compra apareciam.”

O início das negociações na Ásia durante a madrugada de sábado para domingo fizeram com que a aposta começasse a dar resultado. Então, Menin passou a operar ao vivo através do Twitter e dos grupos fechados da Quantzed Criptos.

Impulsionado pelo volume de negociação nos mercados asiáticos, o lucro da operação chegou a 10.000% antes que o dia amanhecesse. O trader então supôs que tamanha valorização em um pequeno espaço de tempo poderia criar um “efeito manada”, atraindo mais investidores para realizar apostas de risco numa possível valorização do LUNA. Daí por diante, Menin investiu mais US$ 800 (aproximadamente R$ 4.000).

Ao todo, conta, a operação durou 42h. Suas posições foram totalmente encerradas no sábado, 14, somando R$ 260.000 e um lucro de 5.100%. Menin explica que foram realizadas diferentes operações de compra e venda no período, baseadas no monitoramento do fluxo no mercado asiático:

“Fizemos algumas realizações em certos momentos. Quando anoitecia na Ásia, o fluxo diminuía muito e acontecia uma correção de 40% a 60% no LUNA, e nós diminuíamos a posição antes disso, porque estávamos monitorando o fluxo. E na noite seguinte, quando os asiáticos voltavam, nós voltávamos a operar de novo”.

O trader calcula que o LUNA chegou a alcançar uma valorização de 50.000% desde o fundo do dia 12, próximo ao patamar em que ele começou a operar, até o topo do rali de alta na manhã do dia 14.

Operando de forma a minimizar possíveis perdas em uma operação de alto risco, Menin não se beneficiou da valorização máxima. Ainda assim, multiplicou em mais de 50 vezes o capital investido realizando compras e vendas parciais do ativo ao longo de 42 horas.

Embora, em tese, os lucros pudessem ter sido maiores, o trader afirma que esse foi a operação mais bem sucedida de sua vida em termos de retorno sobre o capital investido:

“Uma tecla que batemos bastante é que não foi sorte. O ponto é: ficamos 42 horas comentando esse trade ao vivo. Claro que a oportunidade ter aparecido foi sorte, mas quando a sorte chega para uma pessoa preparada, a competência se mostra. Tem esse fator que contou bastante, caiu no nosso colo e soubemos guiar.”

Ao contrário de Menin, um trader da Coreia do Sul alegou ter perdido US$ 2,3 milhões com investimentos no Terra tentou invadir a casa do cofundador do protocolo, Do Kwon, para apelar pelo ressarcimento dos fundos dos investidores lesados pelo colapso da rede.

LEIA MAIS

Siga-nos nas redes sociais

Siga nosso perfil no Instagram e no Telegram para receber notícias em primeira mão!





Source link

Share to...