Em queda livre, Avalanche propõe criação de sub-rede do metaverso Otherside em sua blockchain



A Avalanche (AVAX) foi um dos projetos que mais se beneficiou do ciclo de alta do mercado no ano passado, chegando ao top 10 do ranking de criptomoedas e tornando-se um dos principais ecossistemas de finanças descentralizadas (DeFi) da indústria em termos de valor total bloqueado (TVL).

No entanto, 2022 vem se mostrando uma no difícil para a concorrente da Ethereum (ETH), a rede líder entre as plataformas dedicadas a contratos inteligentes. Desde o início do ano, o preço do AVAX declinou 75%, caindo de US$ 114,13 em 1º de janeiro para US$ 27,65 na tarde desta quarta-feira, 25 de maio, de acordo com dados do CoinMarketCap.

Diante dessas circunstâncias desfavoráveis, a equipe de desenvolvedores do Ava Labs apresentou uma proposta inicial ao ApeCoin DAO sugerindo que o metaverso Otherside seja transferido para uma sub-rede exclusiva na blockchain da Avalanche.

A proposta encontra-se em fase inicial de discussão e ainda não foi decidido se ela será, de fato, colocada em votação pela organização autônoma descentralizada (DAO) que responde pelas decisões referentes ao ApeCoin (APE), o token ERC-20 baseado na rede Ethereum que será a moeda oficial do metaverso Otherside.

A Yuga Labs, empresa responsável pelos lançamentos tanto do ApeCoin quanto do metaverso Otherside, ambos originários da popular coleção de NFTs Bored Ape Yacht Club (BAYC), não se manifestou a respeito da proposta. Não está claro se caberia à ApeCoin DAO ou à própria Yuga Labs decidir em que blockchain o futuro metaverso será hospedado.

Após os problemas enfrentados pelos usuários durante o processo de mintagem dos NFTs do metaverso Otherside na Ethereum, incluindo altas taxas de gas, transações não concluídas e congestionamento, a Yuga Labs manifestou-se publicamente em defesa da transferência do projeto para uma rede blockchain autônoma e exclusiva.

Está claro que a Avalanche viu aí uma oportunidade de atrair um dos projetos mais badalados da indústria de criptomoedas para o seu ecossistema.

“Avalanche Multiverse”

Em março deste ano, o protocolo lançou um programa intitulado “Avalanche Multiverse” cujo foco era ampliar o ecossistema de projetos focados em games e no metaverso através da implantação de novos projetos em sub-redes na blockchain da Avalanche. O projeto GameFi DeFi Kingdoms foi o primeiro a ter sua própria sub-rede na Avalanche, que foi implantada no final de março.

No texto apresentado à ApeCoin DAO, os desenvolvedores da Avalanche colocam a infraestrutura do seu sistema de sub-redes à disposição do projeto:

“Propomos que a ApeCoin DAO lance [o metaverso] Otherside em uma sub-rede da Avalanche para sustentar o crescimento futuro da comunidade do Otherside por meio de processamento rápido de transações, maior rendimento, maior escalabilidade e taxas de gás mais baixas.”

O CEO da Ava Labs, Emin Gün Sirer, confirmou o interesse da Avalanche em tentar convencer a ApeCoin DAO a implantar o metaverso Otherside como uma sub-rede compartilhando a proposta em uma postagem no Twitter publicada na terça-feira, 24.

O ApeCoin seria fantástico como uma sub-rede da Avalanche, onde se beneficiaria do desempenho superior de uma cadeia dedicada no protocolo de consenso mais rápido do mercado. E a moeda teria um caso de uso adicional que a ajudaria em termos de mercado e em instâncias regulatórias.

— Emin Gün Sirer (@el33th4xor)

Recepção desfavorável à proposta

Como mencionado anteriormente, a Avalanche é uma rede que ascendeu ao longo do ano passado apresentando-se como uma alternativa mais rápida e barata à Ethereum. Ela é compatível com a Ethereum Virtual Machine (EVM), o que significa que os DApps (aplicativos descentralizados) dedicados à rede líder do mercado podem ser implantados na Avalanche.

As sub-redes apresentadas como uma alternativa para implantação do metaverso Otherside permitem que determinados projetos operem de forma isolada em uma rede própria vinculada à rede principal. Assim, as sub-redes se beneficiam da infraestrutura e da segurança da rede principal ao mesmo tempo que podem operar de forma autônoma, utilizando seus próprios tokens nativos. 

No entanto, a recepção à proposta no fórum da ApeCoin DAO não garante sequer que a proposta seja levada à votação. Muitos membros da comunidade defenderam que o ApeCoin deveria permanecer na rede Ethereum, solucionando eventuais gargalos de escalabilidade e dos custos das taxas de transação através de soluções de segunda camada hoje existentes, e não migrando para uma rede nova.

Até mesmo a autoridade da ApeCoin DAO para deliberar sobre o tema foi posta em questão por um membro da organização, que declarou que a responsabilidade sobre o metaverso Otherside diz respeito única e exclusivamente à Yuga Labs.

A Avalanche foi diretamente abalada pelo colapso do ecossistema Terra (LUNA), uma vez que parte das reservas da Luna Foundation Guard (LFG) eram mantidas em AVAX. Uma queda adicional de 65% do preço do token não pode ser descartada, conforme noticiou o Cointelegraph Brasil recentemente.

LEIA MAIS

Siga-nos nas redes sociais

Siga nosso perfil no Instagram e no Telegram para receber notícias em primeira mão!





Source link

Share to...