Exchanges de criptomoedas devem utilizar o circuit breaker para conter o pânico?


As bolsas tradicionais têm usado “circuit breakers” para conter a venda em pânico, e pode ser hora das exchanges de criptomoeda seguirem o exemplo.

Ontem, 9 de março, as negociações na Bolsa de Nova York foram suspensas por 15 minutos. Isso ocorreu porque o índice S&P 500 caiu mais de 7% pela manhã. Um circuit breaker é um mecanismo que suspende as negociações por um período de tempo com base em gatilhos do mercado, como o declínio de 7% de segunda-feira, para impedir que os traders se comportem de uma maneira que possa causar mais instabilidades no mercado.

O pânico levou à implementação de “circuit breakers”

Os circuit breakers foram aprovados pela Comissão de Valores Mobiliários dos EUA após a queda do mercado em 19 de outubro de 1987. Naquele dia, conhecido como “Black Monday”, o Dow Jones caiu 508 pontos (22,6%).

Segundo seu site, a Bolsa de Valores de Nova York possui “três limiares de circuit breakers que medem uma redução em relação ao preço de fechamento do índice S&P 500 no dia anterior – 7% (nível 1), 13% (nível 2) e 20% (Nível 3).” Os dois primeiros níveis exigem uma suspensão de negociação de 15 minutos. No limite do nível 3, a bolsa suspende a negociação pelo resto do dia.

As exchanges de criptomoedas devem implementar o circuit breaker?

Como o preço do BTC caiu mais de US$ 1.200 nos últimos dois dias, alguns acreditam que é hora das exchanges instituírem um mecanismo semelhante. Catherine Coley, CEO da Binance.US, twittou ontem:

Houve apenas 84 quedas de preço do Bitcoin de um dia para dois dígitos na história, 23 delas ocorrendo desde 2016. Se as exchanges usassem uma queda de 10% no preço como gatilho, não seria uma mudança onerosa para a indústria, já que houve relativamente poucas ocorrências na história do Bitcoin.

Outros podem argumentar que isso iria contra o espírito descentralizado que a criptomoeda deveria representar. A realidade é que a maioria das negociações acontece em exchanges centralizadas, que por si só representam uma aberração à idéia de descentralização. Portanto, implementar circuit breakers não seria o abate de vacas sagradas que os alguns afirmam.

As exchanges já se tornaram as maiores fontes de centralização no espaço. Isso também acabaria sendo uma escolha. Nem todas as exchanges precisam decidir de uma maneira ou de outra – caberia aos usuários decidir quais exchanges preferem e quando preferem.

Com o amadurecimento da indústria de criptomoeda, não é mais isolado de outros mercados. Talvez seja hora das exchanges considerar a implementação de circuit breakers para evitar a venda em pânico.

Além de tornar os mercados de criptomoeda menos voláteis, os circuit breakers podem apresentar aos traders de criptomoeda mais opções.

Siga-nos nas redes sociais

Siga nosso perfil no Instagram e no Telegram para receber notícias em primeira mão!





Source link

Share to...