Rali de alívio? Analista aponta nível de suporte a ser mantido para que Bitcoin volte aos US$ 35.000


O Bitcoin (BTC) confirmou a nona vela semanal vermelha consecutiva e está muito próximo de consolidar um dos piores meses de maio de sua história. Até a tarde desta segunda-feira, 30, a maior criptomoeda do mercado acumula perdas mensais de 16%.

Mantendo-se nesta faixa, somente em maio de 2021 e de 2018, quando a maior criptomoeda do mercado registrou desvalorizações de 35,3% e 19%, respectivamente, o preço do BTC terá tido um desempenho pior.

No entanto, a semana começou com o Bitcoin operando em alta em resposta a notícias positivas dos mercados de ações asiáticos e europeus, provocando sentimentos mistos nos traders e analistas. Enquanto alguns acreditam que o preço do BTC ainda não formou o fundo, outros acreditam que há indicadores suficientes para uma reversão de tendência.

Rali de alívio

Em uma análise exclusiva para o Cointelegraph Brasil, o fundador do Crypto Investidor, Diego Consimo, aponta qual é o nível de suporte que o preço do BTC precisa manter para entrar no mês de junho recuperando ao menos parte das perdas do doloroso mês de maio:

“Após duas semanas de consolidação, o Bitcoin tenta mais uma vez romper sua principal resistência momentânea em U$30.800 em busca dos alvos de US$32.600 a US$35.500. Mas para isso ocorrer, o BTC pode testar novamente sua região de suporte em US$30.000. Como podemos observar no gráfico de 4 horas, as médias móveis menores foram rompidas com o aumento do volume de compra do último domingo. Desse modo, o preço deve testar as próximas médias de 200 períodos na região dos US$32.600.”

Ou seja, o Bitcoin precisa manter-se acima de US$ 30.000, conforme o gráfico abaixo, para garantir o rompimento da histórica sequência de fechamentos semanais negativos, evitando, assim, que o décimo se materialize.

Gráfico de 4 horas BTC/USD com destaque para médias móveis do BTC. Fonte: Crypto Investidor (Trading View)

A ação de preço positiva do Bitcoin desde o início desta segunda-feira também aponta para o rompimento de um nível importante, a partir do qual um novo alvo de curto prazo foi estabelecido, como destaca Consimo:

“Um fato animador é o comportamento da ação de preço no gráfico diário, onde o Bitcoin conseguiu romper a média de 21 períodos que estava exercendo forte resistência desde de abril. Com esse rompimento a próxima média a ser testada é a de 50 períodos que está na região dos U$35.000.”

“Vale ressaltar que a média móvel exponencial de 9 períodos está cruzando a média móvel de 21 períodos, confirmando que a força compradora está entrando em jogo e pode desencadear uma reversão da tendência de baixa de curto prazo”, diz o analista, com base no gráfico abaixo:

Gráfico diário BTC/USD com destaque para Médias Móveis de 21 e 50 dias

Ainda em busca do fundo

Embora haja indicadores capazes de fazerem os traders acreditar em um rali de alívio capaz de romper a sequência semanal negativa já no começo de junho, o preço do Bitcoin provavelmente ainda não encontrou o fundo, pondera Consimo:

“Apesar da ação de preço de curto prazo estar indicando uma reversão, ainda acreditamos que o Bitcoin deve buscar o fundo na região entre US$22.800 a US$ 24.000.”

Consimo cita o MVRV (Valor de mercado/valor realizado), um popular indicador on-chain para sustentar que o fundo ainda está por ser formado no atual ciclo de baixa do Bitcoin. 

Em resumo, o valor de mercado nada mais é do que a capitalização total de mercado do Bitcoin – as unidades em circulação do BTC multiplicadas pelo preço atualizado no mercado à vista. Enquanto o valor realizado é uma medida dessa capitalização levando-se em conta o preço de negociação no momento em que cada moeda do suprimento circulante foi transacionada pela última vez.

Quando o MVRV está acima de 1, podemos inferir que, na média, a soma dos hodlers de Bitcoin está no lucro; quando o MVRV está abaixo de 1, deduz-se o contrário: o preço atual das moedas é, em média, menor que o preço que detinham na última vez em que foram movidas.

Atualmente, o MVRV está em movimento descendente, já abaixo de 1, encaminhando-se à região que historicamente demarca que o fundo de fato foi buscado, como explica Consimo:

“Quando analisamos os dados on-chain do BTC podemos observar pelo MVRV que o preço pode cair mais um pouco e entrar na região retangular verde, que marca justamente todos os fundos históricos do Bitcoin.”

MVRV. Fonte: lookintobitcoin

No final da tarde desta segunda-feira, o para BTC/USD está cotado a US$ 31.587, registrando uma alta intradiária de 8%, de acordo com dados do CoinGecko.

LEIA MAIS

Siga-nos nas redes sociais

Siga nosso perfil no Instagram e no Telegram para receber notícias em primeira mão!





Source link

Share to...