Diretor jurídico da Coinbase responde ao FUD da divulgação da SEC



À medida que os temores em torno da exchange Coinbase correm soltos, Paul Grewal, diretor jurídico da Coinbase, garantiu aos clientes que seus fundos estão seguros dentro da exchange.

Em uma divulgação da SEC feita pela Coinbase em maio, certas partes do documento mencionavam que, em caso de falência, os criptoativos mantidos em custódia em nome de seus clientes podem estar “sujeitos a processos de falência” e que os clientes podem se tornar “inseguros”. credores” no processo.

A divulgação foi colocada no centro das atenções logo após a Coinbase reportar suas perdas no primeiro trimestre de 2022 no valor de US$ 430 milhões e mostrar uma queda na receita de 27% em comparação com o ano passado. Para piorar as coisas, as notícias tendiam exatamente quando os títulos de alto risco da Coinbase também começaram a cair de valor.

À medida que os sentimentos de que a empresa pode falir circulavam nas mídias sociais, o diretor jurídico da Coinbase esclareceu e explicou a situação em um post de blog publicado na quinta-feira (02/06).

De acordo com Grewal, a bolsa protege os fundos dos clientes “legalmente e fisicamente”. O diretor jurídico observou que a empresa também atualizou seu Contrato de Usuário de Varejo para estender as proteções contra falência de clientes institucionais também para investidores de varejo.

Grewal também explicou que a empresa não realiza nenhum tipo de ação com os ativos de seus clientes, a menos que os usuários dêem instruções específicas para fazê-lo. Isso inclui o uso dos fundos para empréstimos ou quaisquer outras atividades comerciais realizadas pelos bancos tradicionais.

Nunca houve uma dúvida séria de que os ativos da @coinbase são seguros. Temos mais de US$ 6 bilhões no banco, somos financeiramente fortes e temos proteções legais e operacionais para que os clientes invistam, acessem e retirem suas criptomoedas.

— paulgrewal.eth (@iampaulgrewal) 1º de junho de 2022

Além disso, o advogado destacou em um tweet que a bolsa é “financeiramente forte” e tem mais de US$ 6 bilhões no banco, o que implica que não vai falir tão cedo, apesar do “FUD”.

Em maio, Brian Armstrong, cofundador e CEO da Coinbase, também comentou sobre o assunto. O CEO ressaltou que a empresa “não tem risco de falência” e simplesmente acrescentou a cláusula devido a uma nova exigência da SEC. Ele observou que existem fortes proteções legais para seus usuários em qualquer caso

.VEJA MAIS:

Siga-nos nas redes sociais

Siga nosso perfil no Instagram e no Telegram para receber notícias em primeira mão!





Source link

Share to...