Analista aponta 5 criptomoedas que subiram até 25% na semana enquanto Bitcoin permaneceu entre US$ 29.000 e US$ 31 mil


O preço do Bitcoin (BTC) conseguiu se manter acima dos US$ 30 mil dólares, mesmo com o recuo da bolsa americana pelo receio de um tom mais agressivo do FED.

Segundo o analista Felipe Medeiros, sócio da Quantzed Criptos, isso ocorre devido ao volume de compra Spot continuar baixo, com exchanges mais voltadas para institucionais como Coinbase com o book bem negativo. Para ele, o movimento de negociação lateral do BTC tem se sustentado por posições compradas no mercado de futuros. 

Já o analista do Cointelegraph, Rakesh Upadhyay aponta que a negociação está coincidindo com o aumento da atividade de baleias, de acordo com dados on-chain da Whalemap. Ele também aponta que um relatório da Glassnode aponta que as perdas agregadas dos detentores de longo prazo refletiram mais de 0,006% da capitalização de mercado em 29 de maio.

Upadhyay destaca também que o Bitcoin caiu abaixo da média móvel exponencial de 20 dias (EMA) (US$ 30.565), mas um sinal positivo é que os touros compraram agressivamente a queda para a linha de tendência do padrão de triângulo ascendente.

“Isso resultou em uma forte recuperação, como visto na cauda longa no candle do dia. O padrão de triângulo ascendente permanece intacto favorecendo os compradores” , disse.

Gráfico diário BTC/USDT. Fonte: TradingView

No entanto, segundo ele, um ponto negativo menor é que os touros não conseguiram aproveitar o momento em 8 de junho e isso deu uma oportunidade aos ursos que novamente puxaram o preço abaixo da EMA de 20 dias. Isso sugere que os ursos continuam vendendo na zona entre a EMA de 20 dias e US$ 32.659.

“Se os ursos baixarem o preço abaixo da linha de tendência, o par BTC/USDT poderá cair para US$ 28.630, onde a compra pode surgir. Se isso acontecer, sugerirá que o par pode permanecer dentro do intervalo entre US$ 32.659 e US$ 28.630 por mais alguns dias. Mas se houver uma quebra acima de US$ 32.659 as chances de alta voltam ao jogo”, aponta.

5 criptomoedas que subiram até 25% na semana

Enquanto os touros brigam para elevar o preço do Bitcoin, Felipe Medeiros aponta que várias altcoins vem se comportando bem nos últimos 7 dias. Entre elas ele destaca a Chailink que subiu 25% com a notícia do lançamento do seu stake no final do ano e também o roadmap pra versão 2.0.

Outro destaque, segundo o analista, foi a Ethereum que realizou um teste bem sucedido para o tão esperado “The Merge”

“A testnet ‘Ropsten’ passou pelo the merge sem grandes problemas, o que deve confirmar a previsão da atualização acontecer entre agosto e outubro”, disse.

Lucas Schoch, CEO e fundador da Bitfy, também destaca a Chailink como um dos criptoativos que roubaram a atenção do mercado nos últimos 7 dias. Schoch no entanto aponta outras 3 criptomoedas que surpreenderam o mercado, como foi o caso da Helium, uma blockchain desenvolvida para melhorar os recursos de comunicação de dispositivos móveis focada em Internet das Coisas (IoT).

“Helium, foi lançado ao mercado em julho de 2019, e permite que aparelhos eletrônicos de baixa potência se comuniquem e enviem dados através da sua rede de nós, praticamente igual ao conceito IoT, e que nesta semana valorizou o equivalente a 19%”, destacou.

O analista também aponta a Cardano, um dos principais concorrentes do Ethereum. A Cardano foi fundada em 2017 e possui o nome do polímata italiano do século XVI Gerolamo Cardano e seu token nativo, o ADA leva o nome da Ada Lovelace, uma matemática do século XIX, notoriamente apontada como a primeira programadora de um computador no mundo.

“Projeto de código aberto que visa redistribuir o poder de estruturas irresponsáveis para as margens dos indivíduos, os ajudando a criar uma sociedade mais segura, transparente e justa, de acordo com a palavra de seus desenvolvedores, nestes últimos sete dias valorizou cerca de 17,50%”, disse.

Finalizando a lista o executivo destaca a criptomoeda eCash, uma versão renomeada do Bitcoin Cash ABS – BCHA. A criptomoeda sofreu o rebranded em 1º de julho de 2021 e, desde então, vem tentando se distinguir de seu antecessor, o BCHA.

As unidades básicas do eCash são chamadas de “bits” e substituem as pesadas casas decimais do Bitcoin Cash ABC, e agora ao invés de enviar o valor de 0,00001000 BTC em uma transação peer-to-peer, você enviaria 10 bits com eCash.

A criptomoeda integra um mecanismo de consenso de PoS, uma camada chamada de “Avalanche”, que não deve ser confundida com a blockchain Avalanche – AVAX, apenas o nome é igual.

“A criptomoeda é um fork do Bitcoin e se autodenomina um ativo digital projetado para ser usado como dinheiro eletrônico, como um meio de transação utilizado para pagar bens e serviços, e nesta última semana teve uma alta de aproximadamente 11%”, finaliza.

LEIA MAIS

Siga-nos nas redes sociais

Siga nosso perfil no Instagram e no Telegram para receber notícias em primeira mão!





Source link

Share to...