‘Isso não significa que o investidor deva fugir do Bitcoin”, aponta analista prevendo que o BTC ainda pode cair mais 20%


Embora o preço do Bitcoin (BTC) tenha novamente retrocedido para a marca de US$ 28 mil este pode não ser ainda o fundo para a maior criptomoeda do mercado, segundo análise da Transfero compartilhada com o Cointelegraph.

A empresa foi certeira em prever nos primeiros meses do ano que o BTC poderia cair abaixo de US$ 30 mil já que os touros mostravam fraqueza com a queda no volume de negociações, o que de fato o ocorreu.

Agora, a Transfero destaca que, a nova queda não mudou a tendência do Bitcoin que permaneceu no intervalo entre US$ 28 mil e US$ 32 mil, sem direção definida no curto prazo, corroborando os pontos identificados na análise da empresa publicada em 2 de junho.

Mas, segundo a equipe de Research da Transfero, na ótica do gráfico semanal a tendência ainda é de baixa. Conforme os especialistas, neste momento o ativo está passando por um descanso de forma lateral, um período de contração dos preços.

“Estamos na segunda semana após nove de baixas, formada por candle fraco e indefinido. Com a fraqueza por parte dos compradores, é possível enxergar uma nova movimentação direcional de baixa nas próximas semanas”, destaca.

No entanto, a Transfero avalia que, caso isso não se concretize, existe a possibilidade de que ocorra uma retomada de força compradora, até a faixa dos US$ 35 mil.

Desta forma, junho promete ser um mês de novas baixas ou de negociação lateral, assim como foi maio quando as 10 maiores criptomoedas do mundo fecharam o mês no negativo. conforme um levantamento realizado pelo Yubb, no mês, o Bitcoin teve a menor desvalorização, de 17,15%, e a Avalanche teve a maior, de 54,71%.

Criptomoeda Rentabilidade
Bitcoin -17,15%
Ethereum -31,03%
Binance Coin -17,64%
XRP -30,21%
Cardano -19,95%
Solana -48,75%
Dogecoin -35,06%
Polkadot -32,26%
Avalanche -54,71%
Shiba Inu -45,25%

Para Bernardo Pascowitch, fundador do Yubb, apesar de as criptomoedas seguirem em queda desde o último mês, isso não significa que o investidor deva fugir desse tipo de investimento, mas sim entender o seu funcionamento para o longo prazo.

“Quando falo em longo prazo, estou me referindo a anos, não a meses, semanas ou dias. Porque os investidores de ativos de risco tendem a trazer uma carga emocional muito grande na hora de investir, que pode gerar desespero, medo, ganância, entre outros pontos negativos. É difícil, mas para investir se deve deixar os sentimentos de lado e seguir a estratégia idealizada na carteira, sempre focando no tempo necessário para poder ter bons resultados”. aponta.

Pascowitch destaca como exemplo que ao longo de quatro anos, o Bitcoin passou por grandes volatilidades, mas sempre houve ótimas recompensas financeiras para os investidores pacientes.

“Isso significa que o passado é garantia de resultado futuro? Claro que não, mas o passado mostra que o investimento em cripto tende a recompensar os pacientes e aqueles que focam no longo prazo”, pontua.

Resistência chave

Já o analista Justin Bennett destaca que o mercado de criptomoedas tem uma resistência chave para manter ou então haverá um novo declínio de mais de 20%. Segundo ele, a capitalização de mercado de todas as criptomoedas, está no meio de um colapso e o nível de US$ 1 trilhão é a última marca que poe segurar uma baixa prolongada.

“Não fica muito mais limpo do que isso. O detalhamento de hoje do Coinmarketcap total do mercado abre o nível psicológico de US$ 1 trilhão. O objetivo real é de US$ 950 bilhões para ser exato.”

Imagem

De acordo com o estrategista de criptomoedas, a área de preço de US$ 1 trilhão oferece um nível de suporte crucial para todos os mercados de ativos digitais. Caso ele seja quebrado, haverá, segundo ele, uma queda adicional de mais de 20%

“Resumindo: mais 15% a menos de todo o mercado de criptomoedas parece provável antes que possamos começar a falar sobre o potencial de alívio. Lembre-se de que o BTC será o mais próximo dessa marca de -15%. Alts, especialmente os limites mais baixos, provavelmente o ultrapassarão em 1,5-2x. ” 

LEIA MAIS

Siga-nos nas redes sociais

Siga nosso perfil no Instagram e no Telegram para receber notícias em primeira mão!





Source link

Share to...