Trader que previu o inverno cripto de 2018, Peter Brandt revela o fundo do poço do Bitcoin e quando será novo recorde histórico



Sem fazer rodeios, o popular analista financeiro e trader Peter Brandt, famoso por ter acertado em cheio o inverno cripto do início de 2018, quando o Bitcoin (BTC) acumulou perdas em torno de 80% em relação à máximas históricas da época, foi taxativo ao dizer que o que está ruim ainda deve piorar para a principal criptomoeda do mercado, que funciona como uma espécie de bússola deste setor. 

No último domingo (12), aos seus mais de 650 mil seguidores no Twitter, Brandt observou que a queda do Bitcoin naquele dia retratava uma quebra da linha inferior de um canal iniciado no começo do ano passado, o que representava a perda do suporte de US$ 28,8 mil ao longo deste período. 

Segundo ele, caso o BTC não recupere a alta de 31 de maio, em torno de US$ 32 mil, haverá um grande risco de capitulação, que é um fenômeno nos investimentos caracterizado por medo ou pânico que leva os traders a desistirem e venderem seus ativos próximo ao valor mais baixo. 

Pelo que apresentava o mapeamento do CoinMarketCap do Bitcoin na tarde desta terça-feira (14), a criptomoeda se distanciava da possibilidade da recuperação do final de maio, cogitada por Brandt, uma vez que o BTC era trocado de mãos por volta dos US$ 22,2 mil, com perda diária de quase 4,5% e de quase 28% no acumulado semanal. 

Por outro lado, a capitulação sugerida pelo analista poderia levar o BTC a uma nova perda massiva, em torno de 43%. Isso porque o novo suporte, em caso de um novo canal simétrico formado pelo Bitcoin a partir da eventual capitulação, estaria na região dos US$ 12,7 mil. 

“A menos que o Bitcoin (BTC) possa fechar acima da máxima de 31 de maio, este gráfico pode se tornar um exemplo clássico do famoso padrão de gráfico ‘Drano’” , disse. 

Apesar de novas tormentas pela frente, Peter Brandt vê o Bitcoin navegando em águas mais tranquilas no futuro, mas ainda vai demorar. Para ele o BTC deve alcançar um novo recorde histórico só no começo de 2024, com o índice do dólar entre US$ 106 e US$ 119, a depender o desempenho do dólar americano e da inflação.

“Na minha opinião, não atingiremos um novo recorde histórico até o início de 2024, mas até lá estaremos em uma tendência de alta gigante. O dólar americano pode estar pronto para uma grande corrida. Se US$ 106  for violado, a meta do gráfico se tornará US$ 119 ”, disse.

Quem não demonstra estar preocupado com as derrapadas do BTC é Michael Saylor, CEO da megahodler de Bitcoin MicroStrategy, que disse que a empresa vai continuar comprando a queda, mesmo que a criptomoeda caia a US$ 3.500, conforme noticiou o Cointelegraph. 

O Cointelegraph Brasil não endossa nenhum conteúdo ou produto nesta página. Embora tenhamos o objetivo de fornecer todas as informações importantes que possamos obter, os leitores devem fazer suas próprias pesquisas antes de tomar quaisquer ações relacionadas à empresa e assumir a total responsabilidade por suas decisões, nem este artigo pode ser considerado como um conselho de investimento.

LEIA MAIS:

Siga-nos nas redes sociais

Siga nosso perfil no Instagram e no Telegram para receber notícias em primeira mão!





Source link

Share to...