Maiores entradas de Bitcoin em exchanges desde 2018 colocam o potencial fundo de US$ 20 mil em risco


O Bitcoin (BTC) pode estar à beira de uma grande liquidação no varejo, já que os fluxos de entrada nas exchanges atingiram máximas de quase três anos e meio.

Dados da plataforma de análise on-chain CryptoQuant mostram usuários de 21 grandes exchanges enviando moedas para suas carteiras em massa em 14 de junho.

Principais exchanges registram 83.000 BTC em um único dia

Quando o par BTC/USD caiu para US$ 20.800, o pânico pareceu se instalar entre os traders e, apesar de uma reversão que chegou a US$ 23.000, poucos pareciam dispostos a confiar que o pior havia passado.

Desde então, a ação do preço à vista voltou a quase US$ 21.000, enquanto os fluxos de exchanges em 24 horas atingiram 59.376 BTC.

De acordo com dados da CryptoQuant, esta é a maior entrada diária desde 30 de novembro de 2018. Nesse dia, as exchanges registraram 83.481 BTC de entradas líquidas.

9 de maio de 2022 terminou com 29.082 BTC em entradas líquidas para as plataformas monitoradas pelo CryptoQuant.

As preocupações agora podem se voltar para se ainda mais pressão do lado da venda surgirá nos mercados de Bitcoin nos próximos dias e semanas. Cerca de um mês após o influxo de 2018, o par BTC/USD atingiu o fundo do ciclo de US$ 3.100, 84% abaixo do recorde anterior de US$ 20.000.

Como o Cointelegraph informou recentemente, os analistas têm opiniões divergentes sobre se o Bitcoin repetirá a tendência neste ciclo. Um rebaixamento de 84% significaria um fundo de apenas US$ 11.000.

Em uma análise separada da situação dos preços, o estatístico Willy Woo concluiu que os movimentos macro do mercado ditariam o fundo do Bitcoin.

“Acho que é mais simples do que isso, na minha opinião, encontraremos um fundo quando os macromercados se estabilizarem”, dizia parte de um tópico do Twitter contemplando várias teorias de suporte de preços.

FTX e Binance veem vendas particularmente pesadas

Enquanto isso, analisando quem está vendendo até agora, o CEO da CryptoQuant, Ki-Young Ju, apontou o dedo para os traders de derivativos e a maior exchange global Binance.

Ki observou que o maior número de dias de moedas destruídos – moedas não movidas se tornando ativas após um período inativo – veio desses locais específicos.

“Essa pressão de venda veio da Binance e da FTX”, ele escreveu em um tópico no Twitter em 13 de junho:

“O CDD (Dias de Moedas Destruídos) por  entrada de $BTC indica depósitos de baleias antigas. O CDD de Influxo da Binance atingiu a máxima de um ano antes da queda.”

Ki acrescentou que isso contrasta com outras baleias, que ficaram relativamente quietas durante a agitação dos preços, que começou com a implosão do Terra em maio.

Os dados do recurso de análise on-chain Coinglass, por sua vez, mostram a extensão do viés negativo na FTX, especialmente nos últimos dias.

As visões e opiniões expressas aqui são exclusivamente do autor e não refletem necessariamente as opiniões do Cointelegraph.com. Cada movimento de investimento e negociação envolve risco, você deve realizar sua própria pesquisa ao tomar uma decisão.

LEIA MAIS

Siga-nos nas redes sociais

Siga nosso perfil no Instagram e no Telegram para receber notícias em primeira mão!





Source link

Share to...