Milhões de dólares em Dogecoin são associados a crimes como terrorismo e golpes de pirâmide financeira



A valorização e a popularização do Dogecoin (DOGE) durante o ciclo de alta das criptomoedas do ano passado contribuíram para a adoção crescente da memecoin número um do mercado em atividades ilícitas, revelou um relatório da firma de análise de dados on-chain Elliptic divulgado na quarta-feira, 22.

De acordo com a Elliptic, milhões de dólares em DOGE estão associados a roubos, fraudes e esquemas de pirâmide financeira, enquanto uma parcela menor, mas ainda assim substantiva, foi utilizada para financiamento de atos terroristas, crime organizado e movimentos de extrema direita, além de servir de meio de pagamento para comercialização de pornografia infantil e intermediação de crimes cibernéticos.

O relatório da Elliptic foi divulgado dias após um cidadão norte-americano abrir um processo contra o bilionário Elon Musk e as suas empresas, Tesla e SpaceX, acusando-os de promover um esquema de pirâmide financeira baseado na memecoin. Keith Johnson afirma ter perdido todas as suas economias devido a um “empreendimento ilegal de extorsão” criado por Musk para inflar artificialmente o preço do Dogecoin, e pede como reparação uma indenização de US$ 258 bilhões.

Golpes, fraudes e esquemas de pirâmide financeira

O relatório da Elliptic identifica mais de 50 golpes de pirâmide financeira e fraudes que resultaram em prejuízos de centenas de milhões de dólares em Dogecoin para as vítimas.

A empresa destaca o esquema de pirâmide financeira que ficou conhecido como Plus Token, que resultou na apreensão de mais de US$ 20 milhões por autoridades chinesas, e o desvio de US$ 119 milhões em DOGE relacionado a um esquema de pirâmide financeira organizado na Turquia. 

Além desses casos, a Elliptic menciona o ataque hacker sofrido pela Dogewallet – uma carteira para usuários do DOGE armazenarem seus fundos – que resultou em perdas de US$ 14.000 para os usuários.

Terrorismo

O relatório da Elliptic associa o Dogecoin a carteiras de criptomoedas supostamente gerenciadas pelo grupo terrorista islâmico Hamas que foram apreendidas pelo Escritório Nacional de Israel para Combate ao Terrorismo em julho de 2021.

Embora o montante total de DOGE fosse pequeno perto dos valores mantidos em Bitcoin (BTC) e Tether (USDT), era apenas um pouco menor do que a quantia de Ether (ETH) apreendida na ocasião.

Pornografia Infantil

A comercialização de material relativo a abuso sexual de menores também utiliza o Bitcoin como moeda preferencial, mas desde o ano passado foi possível verificar que o DOGE também passou a ser utilizado como meio de pagamento para perpetração deste tipo de crime.

Crimes cibernéticos

Os crimes de malware cresceram bastante desde o início da pandemia do coronavírus, e a popularização do Dogecoin neste mesmo período fez com que a memecoin fosse adotada pelos criminosos, não apenas como meio de pagamento, mas também de formas mais criativas, revela a Elliptic.

Em outubro de 2020, a empresa de segurança cibernética Kaspersky identificou uma família de malware chamada Cliptomaner, que invade computadores para minerar criptomoedas maliciosamente, sem a anuência ou mesmo o conhecimento dos donos das máquinas.

Esse malware também tinha a capacidade de trocar os endereços criptográficos dos usuários baseados em suas máquinas por endereços controlados pelos criminosos, possibilitando assim o desvio de criptomoedas.

Em julho de 2020, pesquisadores da Intezer identificaram um ataque apelidado de “Doki”, que utilizava informações contidas em transações de Dogecoin para identificar servidores de comando e controle, permitindo que o malware aumentasse sua resiliência contra ações de defesa e segurança dos sistemas.

Movimentos de extrema direita

A internet se tornou um terreno fértil para a propagação, a divulgação e o financiamento de movimentos de extrema direita no mundo todo. Ao terem o acesso a instituições finaceiras bloqueados por autoridades financeiras, os extremistas passaram a recorrer às criptomoedas para financiar suas atividades e o DOGE é uma das moedas incorporadas por tais grupos.

Antes da divulgação do relatório da Elliptic e em resposta à abertura do processo contra ele e suas empresas na Justiça dos EUA, Musk, o fã número 1 do Dogecoin, reiterou seu apoio à criptomoeda em manifestações públicas no Twitter. Tanto a Tesla quanto a SpaceX adotaram o DOGE como meio de pagamento para comercialização de produtos licenciados de ambas as marcas.

LEIA MAIS

Siga-nos nas redes sociais

Siga nosso perfil no Instagram e no Telegram para receber notícias em primeira mão!





Source link

Share to...