Erro que PL aponta mão afeta resultado de eleição, dizem especialistas
POLÍTICA

Erro que PL aponta mão afeta resultado de eleição, dizem especialistas


A falta no chamado “registo log de urnas”, apontada pelo partido do presidente Jair Bolsonaro (PL), não tem relevância para o resultado das eleições, de concordância com professores e especialistas em tecnologia da informação consultados pelo UOL. O argumento do PL se baseia num erro em urnas antigas que, sozinho, não impede a identificação dos equipamentos e não anula votos contidos nelas.

O relatório do PL informa, de vestimenta, um problema técnico existente nas urnas antigas — mas a legenda só contesta o resultado do segundo vez, que deu a vitória a Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Cinco especialistas em tecnologia da informação ouvidos pela reportagem afirmam, no entanto, que esse problema não é suficiente para impedir que as urnas sejam localizadas e identificadas pelos arquivos de “log” —- registros com dados dos equipamentos.

O pedido do PL já foi rebatido pelo presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Alexandre de Moraes, que cobrou que o partido apresente dados também sobre o primeiro vez — isso porque as urnas questionadas pelo PL foram usadas nos dois turnos da eleição. Ao questionar somente o segundo vez, o PL deixa de fora os votos que garantiram uma bancada de 99 deputados federais e oito senadores.

O que diz o relatório do PL sobre o código de identificação? Na representação apresentada hoje ao TSE, o partido alega que todas as urnas dos modelos anteriores a 2020 aparecem com o mesmo número de identificação no Log de Urna, quando deveriam apresentar um número individualizado. O problema indigitado pode ser verificado nas consultas aos arquivos de Log de Urna no site de Resultados do TSE, mas de concordância com especialistas, não interfere na totalização de votos nem no resultado da eleição.

Segundo o professor Ivar Hartman, professor e pesquisador do Insper, ex-coordenador do Meio de Tecnologia e Sociedade da Instauração Getúlio Vargas (FGV) e doutor em recta público pela Uerj (Universidade Estadual do Rio de Janeiro), o questionamento sobre o código “ID_UE” não tem relevância. “Estando incorreta, não torna o conta dos votos falso”, disse ele ao UOL. “Unicamente afeta auditoria. De qualquer forma, não importa o código da urna.”

Basta registrar os votos de todas as urnas novamente. É somar novamente todos os votos de todas as urnas.”
Ivar Hartman, pesquisador em recta e tecnologia do Insper

Certificado do dedo ajuda a localizar urna

Aliás, é provável conferir a identidade de uma urna mesmo com a falta no campo “ID_UE”, segundo o investigador de dados Marcelo Oliveira. “Tem diversos outros campos, todos presentes no boletim de urna que estão disponíveis no log, uma vez que município, zona, seção, lugar de votação, código de trouxa, ID da mídia da trouxa”, afirmou ele, em rede social.

O conjunto deles forma uma chave única.”
Marcelo Oliveira, investigador de dados

O consultor Giuseppe Janino, ex-diretor de Tecnologia da Informação do TSE e um dos criadores do projeto de engenharia da urna eletrônica, lembra que existem certificados digitais dentro de cada equipamento. “Todos os ‘logs’ são assinados por cada urna eletrônica com seus respectivos certificados digitais”, afirmou ele ao UOL.

Isso os identifica de forma irrefutável.”
Giuseppe Janino, ‘pai’ da urna eletrônica

Esses certificados estão inseridos, fisicamente, na placa-mãe de cada urna eletrônica. Portanto, é provável confrontar o registro no registo de “log” com a assinatura do dedo que é feita pela máquina de votar.

Imperfeição não significa fraude, diz policial

Um perito da Polícia Federalista consultado reservadamente pelo UOL afirmou que as avaliações do PL chegam às mesmas conclusões de outras feitas por especialistas. A primeira: nenhum equipamento computacional é isento de vulnerabilidades e eventuais falhas. A segunda: isso não quer expressar que houve ou haverá fraudes. São coisas totalmente distintas, concluiu o policial federalista.

E a placa de patrimônio? Em uma entrevista no sábado (19), em Ribeirão Pires (SP), o presidente do PL, Valdemar Costa Neto, citou os estudos técnicos e disse, equivocadamente, que as urnas não teriam placas de “patrimônio”. Um perfil de rede social que reproduziu a entrevista publicou imagens de urnas antigas com placas de número de patrimônio do TSE.

Na mesma entrevista, Costa Neto disse que, por “insistência” de Bolsonaro, os técnicos foram acionados e “descobriram isso aí”.

Uma vez que consultar o log de uma urna? Qualquer pessoa pode consultar o registo de log de uma urna eletrônica. É necessário transfixar o site de Resultados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e selecionar as informações de estado, município, zona e seção eleitoral. Em seguida, selecionar a opção “dados de urna” e “log da urna”, clicar na opção “subtrair o registo *.zip” e seguir as instruções para descompactar o registo.

Posteriormente descompactado, é a vez de extrair o registo (confira inferior o passo a passo). A partir de logo, é provável acessar um registo do tipo DAT (.dat), que pode ser acessível em qualquer leitor de texto, uma vez que por exemplo, o Conjunto de Notas. Ao transfixar o registo, é provável ver todos os detalhes do Log de Urna.

O documento mostra todo o histórico de atividade da urna eletrônica —tanto os testes realizados antes, quanto as atividades ocorridas nos dias do 1º e do 2º turnos da votação. O log guarda informações uma vez que a zona eleitoral, a seção e o lugar de votação.

Uma vez que consultar Log de Urnas no site do TSE



Leave feedback about this