Funcionária de presídio é presa por furtar mais de R$ 300 milénio de detentos
NOTÍCIAS URGENTES

Funcionária de presídio é presa por furtar mais de R$ 300 milénio de detentos


Uma funcionária da Polícia Penal de Santa Catarina foi presa suspeita de furtar R$ 308.675,46 em numerário do pegulho de presos do Multíplice Prisional de Chapecó, no oeste do estado. De conciliação com a Polícia Social, a suspeita, que confessou o transgressão, era contratada provisória da polícia penal desde 2018. Ela foi detida no dia 2 de novembro.

O pegulho penitenciário é uma espécie de “poupança” do numerário gerado pelo trabalho dos presos enquanto eles estão sob tutela do estado. Além de servir para indenizar vítimas de danos causados pelo transgressão do apenado, o numerário pode ser oferecido para assistência familiar deles, para as despesas dos detentos dentro da prisão e para uma retirada futura quando eles voltarem à liberdade.

Segundo o mandatário regional de Chapecó, Ricardo Casagrande, os furtos foram feitos em vários momentos entre os anos de 2018 e 2022. A mulher levou o numerário em espécie de dentro do cofre localizado na instituição carcerária.

Os furtos foram percebidos durante um procedimento de inspeção das finanças do presídio.

“A direção do estabelecimento fez uma conferência, pois haveria mudanças na estrutura de controle, e percebeu a diferença entre o que havia e o que deveria possuir de saldo”, explicou o mandatário em entrevista à reportagem.

Presa de forma preventiva, a mulher assumiu o transgressão e disse que gastou todo o numerário furtado. A polícia foi questionada pela reportagem sobre em que o numerário foi gasto, mas não informou sobre o objecto. Diligências ainda são realizadas para tentar restabelecer secção do numerário furtado.

Em nota, a Secretaria de Gestão Penitenciária de Santa Catarina informou que a funcionária foi afastada da instituição e está detida no Presídio Feminino de Chapecó.

Leave feedback about this