Prelo francesa analisa razões do desgaste de candidatos pró-Trump nas eleições americanas – 10/11/2022
NOTÍCIAS URGENTES

Prelo francesa analisa razões do desgaste de candidatos pró-Trump nas eleições americanas – 10/11/2022


A prensa francesa analisa nesta quinta-feira (10) os resultados parciais das eleições de meio de procuração nos Estados Unidos. A peroração é praticamente a mesma em todos os jornais: os candidatos republicanos que receberam escora de Donald Trump tiveram em média um desempenho mais fraco nas urnas do que aqueles que não contaram com o ex-presidente no tribuna, resume o quotidiano Les Echos. 

A prensa francesa analisa nesta quinta-feira (10) os resultados parciais das eleições de meio de procuração nos Estados Unidos. A peroração é praticamente a mesma em todos os jornais: os candidatos republicanos que receberam escora de Donald Trump tiveram em média um desempenho mais fraco nas urnas do que aqueles que não contaram com o ex-presidente no tribuna, resume o quotidiano Les Echos

No editorial “Trump: o desgaste de uma marca”, Les Echos assinala que a reeleição do governador Ron DeSantis na Flórida “confirma a subida deste rival de peso dentro do Partido Republicano para uma indicação à Moradia Branca na eleição presidencial de 2024”.

Segundo Le Monde, os ataques ao monstruosidade e os excessos do “trumpismo” alimentaram o bom desempenho dos democratas. Embora a formação final do Congresso continue incerta, “a magnífico resistência do partido de Joe Biden não é tanto a sentença de um escora ao atual presidente, mas sim a prova de uma dupla preocupação dos americanos”, aponta Le Monde.

A primeira delas diz reverência ao “posicionamento reacionário da Suprema Incisão, de maioria conservadora, que contestou direitos individuais adquiridos desde os anos de 1960, a debutar pelo monstruosidade”, escreve o Le Monde. “Pesquisas publicadas logo posteriormente a votação de terça-feira (8) mostram que a questão do monstruosidade foi de longe a principal motivação de voto nos democratas”, destaca o jornal.

“Aliás, a segunda preocupação dos eleitores, que agrega uma maioria heterogênea no país, é a violência que carrega o slogan de Donald Trump – Make America Great Again (Torne a América Grande Novamente) -, seja pela intolerância que manifesta, seja pelas mentiras que vende”, opina Le Monde.

Reeleição em 2024? 

O conservador Le Figaro diz que a resistência dos democratas faz o presidente americano, Joe Biden, sonhar com uma reeleição em 2024, apesar da idade avançada do presidente. 

Le Parisien completa: “Parece que o vento virou para o bilionário nova-iorquino”, escreve o quotidiano, referindo-se a Trump. Na avaliação desse quotidiano, apesar da polarização continuar presente nos Estados Unidos, os eleitores disseram não a uma política que pudesse exacerbar ainda mais as divisões. 



Leave feedback about this