Traumas na puerícia triplicam o risco de problemas mentais em adultos
EMPREGOS

Traumas na puerícia triplicam o risco de problemas mentais em adultos


Um estudo realizado pelo Instituto de Pesquisas Médicas do Hospital del Mar, localizado em Barcelona, reuniu análises de outras pesquisas publicadas acerca de traumas infantis. Sendo assim, tapume de 93 milénio pacientes foram avaliados, buscando entender uma vez que as vivências iniciais refletem nos aspectos cognitivos e emocionais, caracterizando certas condições clínicas. 

Veja também: Isto é o que o quina dos pássaros faz com sua saúde mental; descubra agora

Resultado universal da pesquisa 

As considerações finais foram publicadas na revista científica European Archives of Psychiatry and Clinical Neuroscience, reforçando que a primeira puerícia é uma temporada determinante na vida do ser humano. Adultos que sofreram muito estresse e negligência nos primeiros anos de vida têm um risco três vezes maior de desenvolver transtornos mentais. 

Tipos de negligência na puerícia

Da falta de atenção até violência física, cada um pode assumir certas disfunções conforme a própria maneira de mourejar com os fatos. Independente das constatações, sabe-se que o doesto sexual é uma das situações mais graves envolvendo crianças, elevando as chances da vítima em até 15 vezes de gerar um quadro de boderline, conhecida uma vez que transtorno da personalidade limítrofe. 

Os principais problemas ligados a traumas são: 

  • Violência física por secção de parentes e na escola. 
  • Restrição à socialização, alimento e outras necessidades.
  • Exposição a conteúdos violentos e inadequados para a filete etária. 
  • Falta de guarida e excesso de autonomia nos primeiros anos de vida. 
  • Bullying em ambientes sem supervisão dos responsáveis.  

A frustração é um sentimento normal e necessário

Lembre-se que esse risco está associado a uma forma de violência ordenado e que foge às regras. Pequenos desentendimentos, birras e outros sentimentos ligados à fragilidade são comuns. Dessa forma, também é importante evitar a generalização de alguns sintomas, mas permanecer atilado às queixas dos filhos, adaptando-se a cada estágio do seu desenvolvimento. 

O diálogo é uma utensílio importante para que as crianças se sintam muito ao falar dos problemas que estão enfrentando, minimizando o risco de que um pouco aconteça nessa temporada enxurro de aprendizados. 

Leave feedback about this