Tudo o que Você Precisa Saber Sobre e o que Fazer Para Evitar
SAÚDE

Tudo o que Você Precisa Saber Sobre e o que Fazer Para Evitar


As diferenças entre os principais tipos, porquê ela surge, porquê se desenvolve e o que fazer para não desenvolver a doença

O diabetes se desenvolve quando o corpo apresenta dificuldade em usar o açúcar que absorvemos dos mantimentos para obter vontade, dessa forma o açúcar se acumula na fluente sanguínea.

Açúcar proeminente no sangue pode ter efeitos imediatos, porquê visão embaçada. Também pode originar problemas ao longo do tempo, porquê doenças cardíacas, facciosismo e danificação dos tecidos no organização.

Principais tipos de diabetes
Diabetes tipo 1 e diabetes tipo 2. O médico nutrólogo Dr. Ronan Araujo esclarece que ambos são causados por problemas de produção ou uso de insulina, um hormônio que possibilita que as células usem corretamente a glicose (açúcar no sangue), para obter vontade.

Diabetes (formalmente chamado de diabetes mellitus) é uma doença crônica que afeta mais de 537 milhões de adultos no mundo. No Brasil, as estimativas mais recentes somam 16,8 milhões de pessoas com a doença, murado de 7% da população.

Principais diferenças entre o tipo 1 e o tipo 2

A principal conexão que relaciona os dois tipos de diabetes é entre o açúcar no sangue e a insulina. O que difere, são as razões pelas quais cada um acontece.

Durante a digestão, os mantimentos são divididos em componentes básicos. Os carboidratos são divididos em açúcares simples, principalmente glicose. A glicose é uma manancial de vontade criticamente importante para as células do corpo. Para fornecer vontade às células, a glicose precisa trespassar do sangue e entrar nas células.

O hormônio insulina produzido pelo pâncreas e liberado na fluente sanguínea sinaliza as células do corpo para chupar glicose. Quando os níveis de glicose no sangue aumentam, porquê em seguida uma repasto, o pâncreas normalmente produz mais insulina.

O diabetes tipo 1 ocorre quando algumas ou todas as células produtoras de insulina no pâncreas são destruídas e não funcionam mais. Isso deixa o paciente com pouca ou nenhuma insulina. Sem insulina, o açúcar se acumula na fluente sanguínea em vez de entrar nas células. Uma vez que resultado, o corpo não consegue usar essa glicose porquê vontade.

O diabetes tipo 1 é uma doença autoimune. Isso significa que começa quando o sistema imunológico ataca as próprias células do corpo, destruindo as células produtoras de insulina no pâncreas.

O diabetes tipo 2 ocorre quando as células do corpo resistem ao efeito normal da insulina, que é conduzir a glicose do sangue para o interno das células. Esta exigência é chamada de resistência à insulina. Uma vez que resultado, a glicose começa a se apinhar no sangue.

Em pessoas com resistência à insulina, o pâncreas “vê” o aumento do nível de glicose no sangue e responde produzindo insulina extra para manter um nível normal de açúcar no sangue. Com o tempo, a resistência à insulina do corpo piora. Em resposta, o pâncreas produz cada vez mais insulina, até permanecer “exausto”. Logo, não consegue seguir a demanda por mais e mais insulina, dessa forma os níveis de glicose começam a subir.

Por que é prejudicial ter excesso de glicose na fluente sanguínea?
O médico Ronan Araujo explica que quando você digere a comida, ocorrem processos químicos em seu corpo que quebram e transformam os mantimentos, principalmente carboidratos, em açúcares ou glicose. A glicose é um combustível importante para as células em todo o corpo. Mas essas células não conseguem ter chegada a essa manancial de combustível sem uma substância, produzida naturalmente pelo pâncreas, chamada insulina.

Em alguém sem diabetes, um aumento de açúcar no sangue, geralmente em seguida uma repasto, faz com que o pâncreas libere insulina na fluente sanguínea para que a glicose possa se movimentar para as células do corpo e ser usada porquê combustível.

Mas com o diabetes, esse processo para de funcionar, seja porque o pâncreas não produz insulina suficiente ou porque as células do corpo se tornam resistentes à insulina (ou ambos). Uma vez que resultado, a glicose, incapaz de entrar nas células, permanece na fluente sanguínea, circulando por todo o corpo e causando danos aos vasos sanguíneos, nervos e órgãos.

Uma vez que diagnosticar o paciente que está com diabetes?
Vários testes podem ser usados para diagnosticar o diabetes, incluindo aqueles que avaliam os níveis de açúcar em jejum, em seguida consumir açúcar, em momentos aleatórios ou porquê média nos últimos meses. Se um paciente não tiver níveis normais de açúcar no sangue – principalmente se estiver apresentando sintomas – será provavelmente diagnosticado com diabetes ou pré-diabetes.

“Os dois sintomas mais comuns para uma identificação prévia são: urinar excessivamente e aumento da sede. Isso acontece porque os rins devem liberar a glicose extra na urina. Isso significa que os rins também precisam liberar grandes quantidades de chuva junto com a glicose. Expelir tanto líquido deixa você desidratado, e é por isso que você fica com tanta sede. Que caso não seja tratada, pode levar à desidratação, confusão e fraqueza extrema.” destaca o médico nutrólogo.


(Foto/Reprodução)


Qual a definição da pré-diabetes?
O Dr. Ronan Araujo esclarece que é uma exigência muito frequentemente. Se você for diagnosticado com pré-diabetes, isso é um sinal de alerta para gerenciar seus níveis de açúcar no sangue por meio de mudanças no estilo de vida e possivelmente medicamentos para evitar que se torne crônico e se transforme em diabetes.

Uma em cada 10 pessoas diagnosticadas com pré-diabetes irá desenvolver diabetes tipo 2 nos próximos 12 meses. O risco vitalício disso intercorrer é de murado de 70%. Felizmente, no entanto, um diagnóstico de pré-diabetes não significa que você está talhado a desenvolver diabetes.

É provável não somente evitar o desenvolvimento de diabetes, mas também virar o pré-diabetes. A chave é combater a resistência à insulina, que está ligada à gordura corporal, principalmente ao volta da ventre. Portanto, exercícios regulares — pelo menos 30 minutos por dia — e manducar mantimentos saudáveis são cruciais.

Uma vez que evitar o desenvolvimento de diabetes no diagnóstico do pré-diabetes?
Primeiramente, evitar manducar muitos carboidratos — principalmente das variedades refinadas e processadas, isso fará com que o açúcar no sangue aumente.

Legumes, feijões e grãos integrais são boas formas de carboidratos, porém consideravelmente calóricos. Consumir muitas calorias faz com que seu corpo armazene a vontade extra porquê gordura, piorando a resistência à insulina. Portanto, obtenha sua proteína de carnes magras, aves, peixes e legumes. Evite bebidas açucaradas e, em vez disso, beba muita chuva.

A longo prazo, o diabetes pode originar vários problemas de saúde graves. O excesso de açúcar no sangue danifica os vasos sanguíneos nos olhos, causando uma exigência chamada retinopatia, que pode levar à facciosismo se não for tratada. A glicose subida no sangue também danifica os nervos, geralmente nos pés, pernas e mãos. As pessoas com diabetes às vezes desenvolvem feridas nos pés que não podem sentir devido a danos nos nervos. Quando essas feridas não são tratadas, elas podem se tornar úlceras profundas na pele que podem levar meses para cicatrizar. Ou por outra, o diabetes aumenta o risco de doenças cardíacas e renais.

Uma vez que prevenir o diabetes
A diabetes tipo 1 não pode ser prevenida. Mas você pode prevenir o diabetes tipo 2, mesmo com histórico familiar.

Se um parente próximo — principalmente um pai ou irmão — tem diabetes tipo 2, ou se seu teste de glicose no sangue mostra “pré-diabetes” (definido porquê níveis de glicose no sangue entre 100 e 125 mg/dL), você possui um maior risco para desenvolver diabetes tipo 2.

Hábitos que vão ajudar a prevenir o diabetes tipo 2:
• Mantenha seu peso corporal ideal;

• Exercite-se regularmente — porquê uma passeio rápida de 30 minutos — pelo menos cinco vezes por semana, mesmo que isso não resulte em você atingir um peso ideal o treino regular reduz a resistência à insulina, mesmo que você não perda peso;

• Adotar hábitos de alimento mais saudáveis;

• Consulte seu médico para indicar medicamentos que oferecem proteção suplementar para pré-diabetes.


(Foto/Reprodução)


“Os sintomas do diabetes nem sempre aparecem até que a doença tenha progredido, e é por isso que é extremamente importante realizar visitas periódicas ao seu médico. Quanto mais cedo a doença for detectada, melhor será a capacidade de gerenciá-la.” finaliza o Dr. Ronan Araujo.

Foto Destaque: Reprodução



Leave feedback about this