Vamos pedir invalidação de votos em urnas feitas até 2020
POLÍTICA

Vamos pedir invalidação de votos em urnas feitas até 2020


Em vídeo divulgado nas redes sociais, o presidente do PL de Jair Bolsonaro, Valdemar Costa Neto, afirmou que a {sigla} vai buscar o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para tentar invalidar votos registrados em urnas produzidas até 2020. “Pelo estudo que nós fizemos, tem várias urnas que não podem ser consideradas”, disse ele neste sábado, 19. Costa Neto garantiu que o PL, vai propor essa estudo ao TSE até a terça-feira, 22.

Ele afirmou que as urnas inválidas seriam as que foram produzidas até o ano de 2020, que supostamente teriam o mesmo número de patrimônio, o que, segundo ele, inviabilizaria uma fiscalização urna por urna. Ele alegou ainda que, de contrato com o estudo do partido, o problema pode ter atingido até 250 milénio urnas.

Não há qualquer vestígio de fraude ou problema técnico no pleito, conforme já atestaram o Tribunal de Contas da União e as próprias Forças Armadas. Três missões internacionais de reparo eleitoral também emitiram relatórios preliminares atestando a segurança das urnas eletrônicas, logo depois do primeiro vez.

Questionado no evento deste sábado sobre o porquê de essa demanda não ter sido avaliada antes das eleições, Costa Neto alegou que isso seria “culpa” dos funcionários do TSE e que a direção da Namoro não teria conhecimento da questão.

O dirigente negou, entretanto, que o PL queira rever o pleito. “Não queremos novidade eleição, não queremos agitar a vida do País, mas eles (TSE) têm que determinar o que vão fazer”, alegou.

Ao Estadão, a assessoria de prensa do PL não deu detalhes sobre a intenção do partido, mas confirmou as afirmações feitas pelo presidente da {sigla} neste sábado.

Costa Neto menciona todas as urnas produzidas até 2020. Todavia, os aparelhos mais antigos, utilizados inclusive na eleição de 2018 em que Bolsonaro foi eleito, já haviam sido submetidos ao chamado Teste Público de Segurança (TPS) em anos anteriores. O protótipo de 2020, por sua vez, foi submetido pelo TSE à estudo de peritos de universidades federais neste ano.

Insistência de Bolsonaro

Em sua fala deste sábado, Valdemar da Costa Neto disse que “tinha tranquilidade” a saudação dos resultados das urnas eletrônicas. “Eu disputo eleições desde 1990 e as urnas estão aí desde 94. Nunca tive preocupação com isso”, alegou. Todavia, seu posicionamento mudou depois do que ele chamou de “insistência de Bolsonaro para ver esse objecto”. O presidente, derrotado no segundo vez das eleições deste ano, teria pressionado o partido para completar o estudo.

“Eles insistiram comigo, aí insisti com o pessoal, eles foram lá e descobriram isso aí”, disse Costa Neto sobre o suposto problema nas urnas fabricadas até 2020.



Leave feedback about this